🤥 Entre os diversos mitos e fake news difundidos por defensores da privatização da Petrobras, está o de que a estatal teria “quebrado” em 2014. Uma grande mentira, mas que foi usada pelos governos Michel Temer e Jair Bolsonaro para entregar partes da estatal nas mãos gananciosas de setores da elite.

👉 O que aconteceu foi um processo chamado de “revisão de valores de ativos”, ou seja, de estruturas da própria Petrobras que foram desvalorizadas. A parte importante, que é a arrecadação com operações, foi lucrativa no período, assim como estava sendo nos períodos anteriores.

🙆‍♂️ Na verdade, analistas e pesquisadores têm apontado que a derrubada de Dilma Rousseff na presidência abriu caminho para a Petrobras ser alvo de políticas de desmonte, privatização e submissão a interesses estrangeiros – como o Preço de Paridade de Importação (PPI), que torna os combustíveis cada vez mais caros.

👀 O mito do “prejuízo bilionário” da Petrobras não se sustenta pelos dados de balanço da Petrobras. Em 2014 a empresa estava em boa situação financeira, com R$ 16,6 bilhões em caixa – em 2019 o balanço indica R$ 7,3 bilhões em caixa, e em 2020 R$ 11,7 bilhões.

💰 Além disso, a estatal dispunha de liquidez corrente, ou seja, tinha mais dinheiro do que gastava, e em junho de 2015 captou U$ 2,5 bilhões com bancos internacionais.

#Petrobras #PetrobrasFica #OPetróleoÉNosso #DefendaAPetrobras