A Petrobras é a maior empresa do Brasil, e uma das maiores petrolíferas do mundo!

A empresa atua de forma integrada e especializada na indústria de óleo, gás natural e energia, e está presente nos segmentos de exploração e produção, refino, comercialização, transporte, petroquímica, distribuição de derivados, gás natural, energia elétrica, gás-química e biocombustíveis.

Ela foi criada em 1953 pelo então presidente da República, Getúlio Vargas, para que o Brasil se tornasse independente do petróleo de outros países, e ao longo dos anos passou a ter importância estratégica para o desenvolvimento econômico, social e tecnológico do país.

Como resultado do trabalho e empenho de muitos brasileiros, a empresa se tornou líder mundial em exploração de águas profundas e ultraprofundas, tendo sido a primeira a alcançar o Pré-Sal, camada de petróleo sob camada de rochas salinas no fundo do oceano, em profundidades entre 5 mil e 7 mil metros.

E essa evolução só foi possível por ser uma empresa estatal, do povo brasileiro, e focada em no suprimento de petróleo e derivados no Brasil.

Os benefícios que ela traz para o país, extrapolando a sua atividade fim, não seriam possíveis se ela fosse uma empresa privada, que não tem obrigação nenhuma de priorizar um mercado específico.

 

Lucro dividido com toda a população

Empresas privadas atuam onde podem obter mais lucro. E se for estrangeira, lucros e dividendos serão enviados para o país onde estiver a sua sede.

Desde 2002, a Petrobras tem tido lucros gigantescos quase todos os anos (sempre nas casas das dezenas de bilhões de reais), e investiu grande parte desses valores para o desenvolvimento do nosso país, seja na busca por novas tecnologias nacionais (é a empresa que mais investe em pesquisa e inovação no país), em projetos ambientais para reduzir o impacto de suas atividades sobre a natureza ou em projetos sociais, culturais e esportivos e em muitas outras áreas.

A Petrobras hoje é uma empresa estatal de economia mista e capital aberto. Isso significa que ela tem finalidade de prestar um serviço público, mas recebe também investimento privado por meio de compra de ações negociadas na bolsa de valores.

As ações podem ser compradas por qualquer pessoa. Por ser estatal, a maioria das ações devem pertencer ao Estado brasileiro, garantindo maior parte do poder sobre decisões da companhia.

 

Crescimento a partir dos anos 2000

No ano 2000, o setor de óleo e gás representava apenas 3% do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil. Impulsionado pela política de conteúdo local, que exigia a aquisição de um porcentual mínimo de bens e serviços no mercado interno (ou seja, brasileiros) e pela riqueza gerada pelo Pré-sal, essa participação chegou a 13% em 2014. Foi nesta fase que a empresa assumiu o protagonismo no desenvolvimento do país.

O processo de difamação e de desmonte pelo qual a empresa está passando desde 2016 não ofuscou seu papel estratégico na geração de riqueza para nosso país.

Ela continua sendo estratégica para que possamos continuar buscando um futuro com menos desigualdades sociais.

Para que isso aconteça, a Petrobras precisa continuar sendo estatal e o governo precisa urgentemente rever a estratégia de abrir mão do refino no país. As refinarias são motores de desenvolvimento regionais, geram emprego, renda e os impostos arrecadados com sua atividade proporcionam investimentos públicos em saúde, educação, segurança, infraestrutura e muito mais.

Diante desse cenário é fácil ver a importância da Petrobras e porque ela precisa se manter com o povo brasileiro. Sem ela, o Brasil encolhe.

 

 

Compartilhe o post
Instagram  | Facebook