Entre as muitas mentiras espalhadas sobre a Petrobras, uma diz que “os prejuízos da estatal saem do bolso de todos os brasileiros”.

Essa ideia é usada pelos defensores da privatização que afirmam que a venda ajudaria o Brasil a se livrar de algo que daria prejuízo.

Mas a frase por si já apresenta algumas inverdades:

1) O primeiro enunciado falso é a Petrobras dá “prejuízos”.

2) A segunda mentira é que os brasileiros pagariam por isso.

 

Petrobras é lucrativa

Nas últimas décadas, a Petrobras teve lucros gigantescos em quase todos os anos. De 2003 a 2013, seu lucro líquido total foi de R$ 359,2 bilhões (corrigido pela inflação, equivaleria a mais R$ 664 bilhões). São valores astronômicos.

É verdade que os balanços de 2014 e 2015 fecharam no vermelho. Foram os primeiros e únicos prejuízos desde 1991 e ocorreram principalmente por causa da desvalorização de ativos, da queda do preço internacional do petróleo e dos altos investimentos que a estatal estava fazendo para ampliar sua atuação no Pré-sal.

O valor saiu do caixa da própria empresa, sem nenhum aporte do governo e nem da população. E a melhor parte: já foram cobertos pelos lucros nos anos seguintes, principalmente com os recursos vindos da exploração do Pré-Sal.

Isso mostra que a Petrobras é autossuficiente e tem condições de passar até por momentos mais desafiadores sem prejudicar a população.

 

E a tal “dívida”?

Muito se fala em “dívida” da Petrobras. Ela é na verdade um processo chamado de alavancagem, quando uma empresa pega um empréstimo para investir em um grande projeto, e depois vai pagando as parcelas ano após ano, de maneira sustentável. É facilmente pagável, desde que a estatal não seja desmantelada.

Empresas de todos os tamanhos adotam esse mesmo processo quando precisam de recursos para ampliar. Então por mais que falem de dívida, na verdade não há inadimplência.

Para facilitar o entendimento sobre esse conceito, podemos usar como exemplo a parte da população que compra imóveis ou veículos com pagamento parcelado. No Brasil, essas pessoas são consideradas “devedores”, ou seja, possuem uma dívida (com o banco ou com a empresa que vendeu o bem ou produto). É o mesmo com a Petrobras.

Após a descoberta do Pré-Sal (uma gigantesca camada de petróleo abaixo da camada de rocha salina no fundo do oceano), a Petrobras adquiriu um empréstimo de mais US$ 200 bilhões para desenvolver e implantar a tecnologia necessária para a exploração, e também para a adaptação de refinarias.

Este investimento foi feito porque naquela época a gestão da Petrobras e o governo enxergavam um futuro promissor. A estimativa é que as reservas equivalessem a mais US$ 10 trilhões (R$ 55 trilhões, em maio de 2020) de lucro nas próximas décadas.

Só em 2019, a “dívida” foi reduzida em 12%.

Logo, a Petrobras nunca correu risco de falência.

 

E o retorno para os brasileiros?

Além dela não pesar nada no bolso dos brasileiros, o povo é beneficiado pelos recursos arrecadados com impostos, royalties e dividendos. Só em 2019, foram R$ 246 bilhões revertidos para os cofres públicos.

Os valores dos impostos vão para os caixas das diversas esferas governamentais e financiam políticas públicas em diferentes áreas para atender às necessidades da população.

Já os royalties, que no ano somaram R$ 18 bilhões, são pagamentos feitos à União, estados e municípios onde há exploração, transporte ou refino de petróleo. É uma compensação pelo uso do território ou área adjacente da cidade e estado, já que a atividade petrolífera em geral inviabiliza outro uso econômico da área seja pela simples ocupação ou pelos impactos ambientais.

Cidades bem administradas usam os royalties para melhorar a vida de seus cidadãos, com aumento nos investimentos em saúde, educação, transporte, meio ambiente, segurança pública, saneamento, geração de emprego e renda, vigilância sanitária, entre outras.

Já a terceira forma de benefício são os dividendos. São parcelas dos lucros pagas aos acionistas de uma empresa. A União é o maior acionista da Petrobras e recebe os valores em fundos públicos, que complementam financiamento de políticas públicas.

E isso que nem falamos de outras iniciativas da Petrobras que são diretas, como financiamento e execução de projetos de meio ambiente, saúde, educação, cultura, esporte, tecnologia e etc.

A Petrobras gera lucros enormes para toda a sociedade e com ela o Brasil tem futuro!

 

Compartilhe o post
Instagram  | Facebook