Uma pesquisa realizada por cientistas da Universidade Duke, nos Estados Unidos, e das Universidades de Estocolmo e Uppsala, na Suécia, coloca a Petrobras em 2º lugar entre as 100 maiores corporações transnacionais que operam nos oceanos mundo afora.

Foram avaliados oito principais setores que operam nos oceanos: petróleo e gás offshore, equipamentos e construção navais, produção e processamento de pescados e frutos do mar, transporte de contêineres, construção e reparo de navios, turismo de cruzeiros, atividades portuárias e energia eólica.

Essas indústrias, juntas, obtiveram ganhos de US$ 1,9 trilhão (equivalente a R$ 10,4 trilhões em fevereiro de 2021). A Petrobras faturou US$ 46 bilhões naquele ano (o equivalente a cerca de R$ 250 bilhões) nessas operações.

O estudo, que tem como objetivo avaliar a concentração da indústria no ambiente marítimo e os perigos que isso representa, mostrou ainda que Arábia Saudita, Brasil, Irã, México e Estados Unidos são, respectivamente, sede das maiores transnacionais de petróleo e gás offshore.

 

O Brasil no mapa mundial

Foi a descoberta do Pré-sal que colocou a estatal brasileira no mapa mundial do petróleo. Para especialistas este resultado não é uma surpresa.

Um dos autores do estudo publicado entende que o caso do Brasil mostra como o esgotamento dos recursos força a produção a se deslocar para operações cada vez mais complicadas, mais distantes e em maiores profundidades.

A expectativa é que os níveis de produção do Brasil devam aumentar até 2030, com potencial de tornar a Petrobras a maior empresa petrolífera do mundo.

Com 87% do total de suas operações concentradas na produção de petróleo em águas profundas e ultraprofundas no Brasil, a petrolífera planeja investir US$ 46,5 milhões entre 2021 e 2025 em exploração e produção, com foco no Pré-sal.

 

Pré-sal

O Pré-sal é uma grande reserva de petróleo e gás natural localizada no fundo do oceano, abaixo da camada de rochas salinas (daí o seu nome), em águas ultraprofundas.

Sua descoberta só aconteceu porque a Petrobras, por ser estatal, teve a coragem de investiar muitos recursos em pesquisa e novas tecnologias.

Seus campos de petróleo localizam-se na porção do Oceano Atlântico dentro do mar territorial brasileiro. Foram descobertos até o momento campos entre os litorais de Santa Catarina e do Espírito Santo. No entanto, geólogos acreditam na descoberta futura de campos que podem se estender até o litoral do Ceará.

Não é um exagero afirmar que o Pré-sal divide a história do Brasil em duas: antes e depois dele, pois colocou o país dentro do grupo de grandes jazidas de petróleo e fez o Brasil entrar para o grupo dos maiores produtores do mundo.

O desafio agora é impedir que a política de desmonte da Petrobras, patrocinada pelo atual governo, não prospere. O Brasil todo irá perder.

 

 

Compartilhe o post
Instagram  | Facebook