Alguns dizem que a Petrobras é “cabide de emprego”. Isso é uma grande fake news: é uma empresa que só admite funcionários por concursos públicos disputadíssimos e é excelência em aprimoramento profissional.

Um dos maiores mitos que as pessoas falam sobre as empresas públicas é dizer que elas são ‘cabides de emprego’. A Petrobras definitivamente não é. 

A única maneira de ser contratado para o quadro de funcionários da maior empresa do Brasil é por meio de concursos públicos, diga-se de passagem, bastante disputados. Mesmo para estágios, você precisa passar por processos seletivos para ser admitido. 

E isso está lá no site da Petrobras: “O ingresso nos quadros de pessoal da Petrobras está condicionado à existência de vagas e aprovação do candidato em processo seletivo público, conforme art. 37 da Constituição Federal. Baseado nisso, a companhia não mantém arquivo de currículo de candidatos. Os processos seletivos são amplamente divulgados na mídia e os editais são disponibilizados na página da Petrobras e da entidade executora, na internet”. 

Sendo assim, ninguém pode pedir ajuda para alguém que trabalha lá ou para aquela pessoa com influência política.  

Para começar a carreira na estatal, a única porta de entrada é o concurso. E o regime de contratação, apesar disso, é a CLT, que tem regras diferentes do serviço público (inclusive em relação à “estabilidade no emprego”).  

A Petrobras não pode simplesmente contratar trabalhadores de outras empresas petrolíferas. 

No seu quadro funcional, estão profissionais altamente habilitandos nas mais diversas áreas, desde engenheiros com especialidades diferenciadas (naval, de petróleo, de segurança, e muitas outras), geólogos, geofísicos, até médicos, enfermeiros e muitos outros cargos técnicos.  

É preciso separar as coisas 

Quando utilizam o termo “cabide de empregos”, muitas pessoas acreditam que a estatal está lotada de pessoas que ingressaram por indicação política ou apadrinhamento. 

Isso é um erro de compreensão. Há um contingente muito pequeno de pessoas que assumem cargos por indicação, mas perto do total de funcionários, é um número pequeno e pouco representativo. 

É claro que esse sistema deve ser aprimorado, para que mais funcionários de carreira ocupem cargos de gestão. Isso profissionalizaria ainda mais os processos e proporcionaria mais isenção nas decisões. Mas a alta qualificação dos funcionários de carreira garante que esses fatores tenham menos impacto no dia a dia da empresa.  

E os salários? 

Os salários básicos dos técnicos em uma Plataforma, Refinaria ou Terminal estão dentro da média razoável de profissionais da mesma função na inciativa privada, com mesmo grau de altíssima qualificação. 

Salários mais altos têm a ver com situações perigosas de trabalho, como contato com materiais tóxicos, radioativos e combustíveis, o que significa insalubridade e riscos constantes de morte, principalmente para técnicos que trabalham embarcados por 14 dias em plataformas e navios de extração. 

Se o salário dos petroleiros parecer alto para você, é culpa do mercado privado que se precarizou. E o corpo de trabalhadores da Petrobras é qualificado ao ponto de produzir ciência e tecnologia suficientes para descobrir e extrair petróleo no Pré-Sal, poços que ficam abaixo do sal no fundo do mar. Ninguém no mundo havia conseguido isso antes da Petrobras. 

Aprimoramento de pessoas é a essência da Petrobras 

Aprovado no processo seletivo, o funcionário da Petrobras tem suporte para evoluir na carreira, pois sempre começa no nível Junior. Antes de ir a campo de trabalho, precisa passar por longo período de treinamento. Mesmo com alto grau de exigência, é referência para jovens recém-saídos de universidades de áreas afins. 

Após o treinamento básico para a função — os engenheiros ficam por exemplo 13 meses em sala de aula —, o funcionário, estando bem avaliado nos sistemas de análise de desempenho da companhia, pode se candidatar aos concorridos cursos da Universidade Petrobras. 

A Universidade Petrobras é um centro de excelência para o aprimoramento dos funcionários da empresa. Ela fica em um edifício de oito andares no Rio de Janeiro e oferece milhares de cursos anuais. É a principal via de crescimento profissional do trabalhador dentro da empresa. É também como ela se adapta às novas tecnologias — mesmo as criadas por ela mesma — e novos métodos de trabalho. 

Por isso tudo, a Petrobras é uma referência em treinamento e também no desenvolvimento de líderes não só no Brasil como no mundo. E ela é do povo brasileiro e precisa continuar sendo. 

Veja também O que Petrobras faz por você

Acesse nossa rede

Instagram  |  Facebook